Renault apresenta resultados mundiais de 2016
Diminuir fonte Aumentar fonte
Da Redação
Motor1
Duster Oroch
Renault Fluence
Kangoo
Twizy
Koleos
Renault Kwid
Duster

RECORDE DE VENDAS em todo o mundo

Alavancado pelo dinamismo de seu plano¬†‚ÄúRenault - Drive the Change‚ÄĚ, pelo quarto ano consecutivo o Grupo Renault tem um aumento nas vendas e se torna o Grupo automobil√≠stico franc√™s n√ļmero 1 no mundo, com 3.182.625 ve√≠culos emplacados em 2016.

Os emplacamentos de veículos de passeio e utilitários (VP + VU) do Grupo Renault em nível mundial registraram uma alta de 13,3%, em um mercado em progressão de 4,6%. A participação de mercado mundial do Grupo é agora de 3,5% (+0,3 ponto ante 2015). As marcas Renault e Dacia apresentaram recorde de vendas. A Renault mantém a posição de primeira marca francesa no mundo. Já o volume de vendas da Renault Samsung Motors aumentou 38,8%.

O Grupo continua a se beneficiar do dinamismo do mercado automobilístico europeu (+7%), registrando uma progressão em seus emplacamentos de 11,8%, com 1.805.290 veículos, para uma participação de mercado de 10,6%.

Fora da Europa, o Grupo atingiu um recorde de vendas, registrando aumento de 15,3% em um mercado em alta de 5,2%. Todas as regi√Ķes tiveram aumento tanto em volume como em participa√ß√£o de mercado.

‚ÄúEm 2016, batemos um novo recorde, com mais de 3,18 milh√Ķes de ve√≠culos vendidos. Nossa estrat√©gia de renova√ß√£o da gama e expans√£o geogr√°fica iniciada h√° v√°rios anos √© um sucesso, permitindo que o Grupo aumente significativamente seus volumes e ganhe participa√ß√£o de mercado em cada uma de nossas regi√Ķes‚ÄĚ, destacou Thierry Koskas, Membro do Comit√™ Executivo e Diretor Comercial do Grupo Renault.

RENAULT, SEGUNDA MARCA NA EUROPA

Na Europa, a participação de mercado de VP + VU do Grupo registrou uma alta de 0,5 ponto, para 10,6%. Os emplacamentos aumentaram 11,8%, para 1.805.290 veículos. O Grupo registra vendas em alta na totalidade dos países da região.

A Renault teve mais um ano de crescimento e se torna a segunda marca da Europa.  Com 1.390.280 emplacamentos (+12,1%), a participação de mercado atingiu 8,1%, em alta de 0,4 ponto.

Em¬†ve√≠culos de passeio (VP), a marca Renault teve o maior aumento de participa√ß√£o de mercado na Europa, com +0,4 ponto, gra√ßas, principalmente, √† renova√ß√£o da gama com o Espace, Talisman e a fam√≠lia M√©gane. O Novo Sc√©nic teve um bom lan√ßamento, com mais de 19.000 pedidos em um √ļnico trimestre.

A Renault mantém a posição de líder no mercado de compactos urbanos (segmento B), graças ao sucesso do Clio e Captur, que encabeçam o segmento com 215.670 emplacamentos.

Em (veículos utilitários) VU, a marca Renault realizou 296.187 emplacamentos (+9,9%), com uma participação de mercado de 14,8%.

Onze anos após o lançamento na Europa, a marca Dacia registra um novo aumento em seus emplacamentos em 2016 (+10,8%), batendo um recorde de vendas, com 415.010 unidades no ano.

No mercado de veículos elétricos, a Renault mantém a liderança na Europa. As vendas do Grupo aumentaram (+11%) para 25.648 veículos (com exceção do Twizy). O ZOE mantém a liderança no mercado de VP com 21.735 emplacamentos no ano (+16%), e o Kangoo Z.E. é o líder em VU elétricos, com 3.901 unidades.

Na França, o Grupo Renault teve seu melhor ano comercial em cinco anos. A Renault reforça sua posição de primeira marca de automóveis, com 22,3% de participação de mercado em VP + VU, e a Dacia registrou um recorde histórico de vendas, com mais de 112 mil emplacamentos. Ela é a quarta marca mais comprada por clientes pessoa física.

EXPANSÃO MUNDIAL

Apesar de uma situa√ß√£o econ√īmica desigual, o Grupo Renault teve crescimento em suas posi√ß√Ķes, aumentando a participa√ß√£o de mercado em todas as regi√Ķes. A renova√ß√£o da gama em todo o mundo teve sucessos como o Kwid na √ćndia,¬† QM6 e SM6 na Coreia, Kaptur na R√ļssia, Koleos na China, M√©gane Sedan na Turquia e¬†Duster Oroch nas Am√©ricas.

Na¬†√Āfrica Oriente M√©dio √ćndia, os emplacamentos do Grupo est√£o em alta de 36,4%, para uma participa√ß√£o de mercado de 6,2% (+1,7 ponto).

Na¬†√ćndia, a Renault se mant√©m como a primeira marca de autom√≥veis europeia, com vendas em progress√£o de 145,6%. O Kwid registrou 105.745 emplacamentos. A √ćndia se torna o 8¬ļ pa√≠s mais importante do Grupo (+5¬†posi√ß√Ķes, em compara√ß√£o¬†com 2015).

No Irã, as vendas deram um salto de 110,7% com uma participação de mercado em alta de 3,7 pontos, para 8,4%. O Grupo conseguiu voltar a ser um grande player após a reabertura do mercado, duplicando sua participação em um ano, graças ao sucesso de Tondar e do Sandero.

No Magrebe, o Grupo detém 38,5% de participação de mercado, em alta de 4,9 pontos. Na Argélia, ele registra uma participação de mercado recorde de 51,3%, com um ganho de 15,7 pontos, beneficiando-se da produção local do Symbol. No Marrocos, onde a Dacia e a Renault são respectivamente a primeira e a segunda marcas, os emplacamentos do Grupo aumentaram 22,5%, com uma participação de mercado de 37,8%, registrando vendas recordes.

Na Eurásia, os emplacamentos estão em alta de 2,3% em um mercado em queda de 6,3%. A participação de mercado do Grupo aumentou 1,1 ponto, para 13,0%, graças principalmente ao dinamismo na Turquia (+4,4%), onde bateu um novo recorde de vendas. O lançamento do Novo Mégane Sedan foi bem-sucedido, com mais de 13,2 mil pedidos em dois meses.

O crescimento na maioria dos pa√≠ses da regi√£o¬†permite compensar as consequ√™ncias da crise econ√īmica na¬†R√ļssia, onde¬†o mercado est√° em decl√≠nio de 10,8%. Ao limitar a queda de seus emplacamentos em 2,6%, a Renault atingiu uma participa√ß√£o de mercado recorde de 8,2%, em progress√£o de 0,7%,¬† gra√ßas, principalmente, ao sucesso do Kaptur, que registrou mais de 14.600 emplacamentos desde o lan√ßamento, em junho.

Na regi√£o¬†Am√©ricas,¬†onde as vendas est√£o em alta de 0,1% em um mercado em decl√≠nio de 4,1%, o Grupo resiste √†s dificuldades econ√īmicas com uma participa√ß√£o de mercado de 6,5%, em progress√£o de 0,3 ponto.

No Brasil, a participa√ß√£o de mercado aumentou 0,2 ponto, chegando a um recorde de 7,5%, em um mercado em recuo de 19,8%. Em 2017, o Grupo se beneficiar√° de uma nov√≠ssima gama de SUV, com Captur, Koleos e Kwid. A marca Renault continua a se favorecer plenamente da recupera√ß√£o do mercado¬†argentino,¬†com um aumento nos emplacamentos de 24,8% em um mercado em alta de 9,1%. Um novo recorde de volume e participa√ß√£o de mercado foi atingido na¬†Col√īmbia,¬†com 21,3%.

Na regi√£o¬†√Āsia Pac√≠fico, a Renault Samsung Motors¬†avan√ßou 38,8% na Coreia, em um mercado em queda de 0,3%: gra√ßas ao sucesso dos lan√ßamentos do SM6 e do QM6 em 2016, a participa√ß√£o de mercado atingiu 6,2% (+1,7 ponto). Mais de 21.000 pedidos foram registrados em apenas quatro meses para o QM6.

Na China, após o lançamento do Kadjar, primeiro veículo produzido localmente pela joint venture Dongfeng Renault, a Renault registrou um crescimento de 50,8% de seus emplacamentos, em um mercado em alta de 14,0%. O Koleos registrou quase 10.000 pedidos em 2 meses.

PERSPECTIVAS COMERCIAIS PARA O GRUPO RENAULT EM 2017

Em 2017, o mercado mundial deve ter um crescimento de 1,5% a 2% em relação a 2016. Espera-se uma alta de 2% no mercado europeu, com uma progressão de 2% também para a França.

Em √Ęmbito internacional, os mercados brasileiro e russo devem se manter est√°veis. A China deve ter um crescimento de 5% e a √ćndia, de 8%.

O Grupo deve continuar a tirar proveito de sua gama de produtos renovada na Europa e, nos demais pa√≠ses do mundo, da din√Ęmica do Kwid na √ćndia, do Koleos e Kadjar na China, o Kaptur na R√ļssia, QM6 e SM6 na Coreia do Sul, bem como do Alaskan e a nova gama de SUV¬†na Am√©rica Latina.

Fonte: www.imprensa.renault.com.br